TEXTO POR RICARDO RAMALHO

O artista só entra para a história da arte, de forma
duradoura, quando seu trabalho atinge uma abrangência que
vai além do mercado, a carreira do artista não se mede
pelos valores monetários, porque estes podem flutuar. O que
garante solidez na tragetória artística é a fertilidade do
conjunto da obra, que é reflexo das ações do artista, não
somente sob os holofotes, mas nos gestos cotidianos, nas
iniciativas espontâneas, e no discurso que movimenta a
rotina. Túlio Tavares é uma aula de como ser artista, seu
portifólio só pode ser comparado ao de artistas vinte anos
mais velhos, um grosso livro sobre ele não conseguiria
traduzir o bom humor e presença de espírito do seu
trabalho, só mesmo um documentário longa metragem,
altamente rentável, poderia traduzir sua obra.

Seu recente trabalho em suporte fotográfico, pinturas,
sintetiza todas as características mais desejadas da arte
pós-contemporânea: destreza técnica, beleza,
reprodutibilidade, unicidade, resistência, autoria, e o
mais importante, estofo.

Ricardo Ramalho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s